Receba as atualizações, novidades, lançamentos, dicas, artigos e muito mais! Inscreva seu e-mail:

10/05/2012

Transtorno da Compulsão Alimentar Periódica


Este foi o tema do encontro do grupo EMAGRECENDO COM A CABEÇA em 28 de abril de 2012.

O que é?

Também chamada de  Compulsão Alimentar, pode ser classificada como um TRANSTORNO ALIMENTAR, e se caracteriza por episódios de ingestão alimentar extremamente excessiva. Para que a pessoa seja diagnosticada com este transtorno, um dos critérios levados em consideração é que o comportamento precisa estar ocorrendo no mínimo duas vezes por semana por um período de seis meses.

No momento em que a pessoa apresenta a compulsão, é tomada por um forte sentimento de não conseguir parar ou controlar o que ou quanto se come, além de angústia em relação ao próprio comportamento.

Critérios como estes abaixo, também se associam com a compulsão alimentar:

 
 Comer muito e mais rapidamente do que o normal;
Comer até sentir-se incomodamente repleto;
Comer grandes quantidades de alimentos, quando não está fisicamente faminto;
Comer sozinho por embaraço devido à quantidade de alimentos que consome;
Sentir repulsa por si mesmo, depressão ou demasiada culpa após comer excessivamente.


Quais são as causas?

Podemos supor pelo menos três fatores que colaboram para o desenvolvimento de uma compulsão alimentar: Genéticos, Sócio-culturais e o próprio modo da pessoa lidar cognitivamente com os fatos.

Referente as origens genéticas, é comum observamos parentes de primeiro grau que já tenham apresentando algum tipo de transtorno alimentar ou transtorno de humor, como ansiedade ou depressão. 

Questões sócio-culturais, querem dizer que, dentro do ambiente familiar de muitas pessoas, assim como na sociedade, constatamos a valorização da estética corporal, atribuindo-se culpa aqueles que não se encaixam neste perfil, e por último, vale citar o próprio modo da pessoa representar internamente os acontecimentos à sua volta e à si mesma.

Como é o tratamento?

O tratamento é composto por uma equipe multidisciplinar, envolvendo nutricionista, psicólogo e médicos, que podem ser o endocrinologista ou um psiquiatra, dependendo do quadro, pois cada caso é tratado de forma única. 

Contudo, de modo geral, o tratamento irá focar na conscientização do paciente de que necessita promover mudanças na área cognitiva e comportamental, além de aprender a administrar suas emoções e sua alimentação de formas mais saudáveis e produtivas em sua vida.
 
Psicóloga Clínica Carla Presutti.


“Não faça dieta. Mude hábitos!”

7 comentários:

  1. Nossa essa foi justamente a conversa de ontem com a nutricionista..E faz todo sentido isso!
    E esse é meu foco agora:mudar hábitos!
    Gostei!
    Um beijo,e já estou te seguindo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seja bem vinda Marcinha! Obrigada por participar do blog. Visite nossas páginas no face: www.receitas.saudaveis e a
      www.facebook.com/emagrecendocomacabeca Beijos e apareça sempre!

      Excluir
  2. Gostei do blog e das dicas. Os distubios alimentares não se tratam apenas do aspecto alimentar mas estão intimamente ligados ao emocional por isso a equipe multidisciplinar é fundamental nesse processo. Tenho bulimia há anos e por isso entendo bem desse processo. Estou buscando meu caminho para recuperação e espero enfim conseguir vencer essa luta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com toda razão minha linda, as emoções estão por trás. Cuide delas, busque auxílio e liberte-se. Obrigada pela visita e fique a vontade para dar sugestões de assuntos que queira ver neste blog. Beijos e força sempre!

      Excluir
  3. oi, adorei a materia, acho que tenho isso pq sempre que fico chateada com alguma coisa como compulsivamente tudo q tiver pela frenta até cansar e depois fico me culpando, chorando e irritada com todos. o q devo fazer?

    ResponderExcluir
  4. Olá tenho 35 anos e comecei a engordar a 10 anos, logo depois do parto da minha segunda filha. Na gravidez engordei muito tbm, pq comia pra tentar aliviar a tensao dos problemas que surgiram na época. Desde então não tenho conseguido bons resultados com as dietas que tento fazer, pq sempre que estou ansiosa jogo toda a minha frustração na comida. De 54 kg que pesava cheguei aos 120kg, e hj minha alto estima está zerada, fora as dores no corpo e enxaquecas que adquiri devido ao aumento de peso severo. Hj busco em sites, reportagens e histórias reais ajuda pra tentar perder peso e voltar a me sentir bem fisicamente e psicologicamente.

    ResponderExcluir
  5. Fernanda, sem dúvida que a leitura sobre o assunto ajuda, mas não dispensa uma psicoterapia. Faça isso por você. Grande abraço!

    ResponderExcluir

Faça parte do Emagrecendo Com A Cabeça. Siga-nos!