Receba as atualizações, novidades, lançamentos, dicas, artigos e muito mais! Inscreva seu e-mail:

20/06/2012

O ambiente e a sua reeducação alimentar


Por mais que saibamos que a R.A. depende grandemente dos nossos próprios esforços, não podemos negar que, mesmo em uma parcela menor, se não ficarmos atentos, o ambiente também pode ser um colaborador ou um sabotador da R.A.

A sensação pode ser de frustração e desânimo em levar adiante suas mudanças alimentares, quando você se depara com pessoas à sua volta comendo inadequadamente ou deixando espalhados pelo ambiente, alimentos nada saudáveis e muito calóricos. Imagine abrir a geladeira e dar de cara com um pudim ou encontrar uma caixa de bis no armário da cozinha? E ao chegar em casa, com fome após um dia de trabalho e tiver alguém fritando hambúrguer?

Pois bem, nem todos em seu círculo familiar e social estão no mesmo momento que você, que está em busca de alimentação saudável e emagrecimento, e conscientizar-se de que eles não tem obrigação de se comportar como você, será um primeiro passo, porque se deparar com estas situações dentro e fora de casa será inevitável.
Também não é necessário se tornar antissocial por conta disso, deixar de ir em festas,visitar amigos ou até mesmo não convidá-los mais para ir à sua casa.





Não espere o ambiente colaborar, colabore você consigo mesmo (a)! O ideal é manter o foco em sua meta, programar alimentação para todas as ocasiões, em casa, no trabalho e em eventos, pois já tendo estabelecido o Quê e QUANTO comer, irá evitar que você se disperse da R.A., pois saiba que  a dúvida e a falta de planejamento também são fortes sabotadores. Por exemplo, ao abrir a geladeira e não ter em mente (planejado) o que vai consumir lhe proporcionará “escolhas”, portanto, lance mão da objetividade.

Até quando for às festas é possível se planejar, mesmo que não saiba exatamente o que será servido no local. Uma dica é monitorar a ingestão dos grupos alimentares (pirâmide alimentar) durante o dia para ter uma noção das quantidades e de quais alimentos poderá ingerir sem comprometimentos para sua perda ou manutenção de peso. Você pode consultar um nutricionista para lhe ajudar nesta tarefa.

Lembre-se de ser assertivo (a) sempre, expressar-se de acordo com suas necessidades, informando o que lhe agrada ou não, é parte fundamental, o que não quer dizer que tenha que impor que as pessoas se comportem como você, apenas que lhe respeite como irá respeitá-las. Quero dizer que vale entrar em acordos, como por exemplo, pedir para que o familiar ou amigo não seja insistente quando disser que não quer comer algo, que até mesmo nem lhe ofereça quando o alimento for engordativo ou solicitar que a pessoa não deixe à vista no ambiente suas guloseimas.

Ao receber visitas em casa ou preparar as refeições, procure elaborar um prato que agrade as outras pessoas e outro que agrade você, caso não encontre uma única receita adequada para todos.

Acredito que com essas estratégias simples é possível superar estes momentos e manter-se focado (a), fazendo por si mesmo (a)  sem esperar que o ambiente lhe dê condições para isso. Crie você as condições.

Grande abraço!

Psicóloga Clínica Carla Presutti

“Não faça dieta. Mude hábitos!”

5 comentários:

  1. - Mtuuu bom esse texto.

    adorei as dicas! *-*

    beeijinhos

    ResponderExcluir
  2. Amei demais o texto.
    Esse de chegar em casa e pegar certas coisas na geladeira, ou alguém estar fritando hambúrguer..
    Nossa, acontece demais aqui em casa..
    Pareço um drogado. Fico lutando contra u me rendo quando não consigo...
    Mas parei pra pensar nesse texto, valeu a pena ter vindo aqui hoje.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que te ajudou Danielle! Força sempre. Bjos

      Excluir
  3. o meu maior problema é sair para comer com os amigos... nossa, às vezes consigo... às vezes não... acho qeu deveria ficar no meio termo: comer, com moderação.

    :D

    ResponderExcluir

Faça parte do Emagrecendo Com A Cabeça. Siga-nos!