Receba as atualizações, novidades, lançamentos, dicas, artigos e muito mais! Inscreva seu e-mail:

25/11/2013

Reeduque sua mente e modifique seus hábitos


Seja flexível. Mude sua cabeça e emagreça!


Muitos pacientes me dizem que “não gostam” de determinados alimentos, em especial os que são mais saudáveis, como frutas, legumes e etc.

Vale lembrar que emagrecer envolve reeducar-se, se permitir explorar novos sabores e novas atitudes em relação à alimentação, e tudo isso começa no modo de pensar.

Você pode começar por estas estratégias:

Pare de dizer que NÃO GOSTA de tal alimento;

Experimente um novo sabor sem comparar na hora de comer com outro alimento mais calórico e nada saudável, afinal cada alimento é único;

Permita-se redescobrir o prazer que um alimento mais saudável pode lhe proporcionar, portanto EXPERIMENTE! Com o tempo é possível adaptar o paladar e você sentirá menos falta de alimentos hipercalóricos e nada nutritivos;



Crie regras alimentares, pois sem elas não se chega a lugar algum. Vá retirando gradativamente alimentos dos quais são difíceis de resistir. Dois exemplos de alimentos viciantes são o açúcar e o carboidrato. Cientificamente sabemos que podem causar dependência. Quanto mais se ingere mais o corpo necessita e pasme: O açúcar vicia igual heroína! Mas você pode retirá-lo de sua rotina e o melhor é que seja aos poucos, isto é, estabeleça alguns dias da semana para ingeri-lo (inicialmente umas 3x), bem como a quantidade (inicialmente umas 200grs ao dia) e vá reduzindo a ingestão e quantidade semana a semana, até chegar na meta de consumir a cada quinze dias, por exemplo.


Enfim, tenha sempre em mente que emagrecer é consequência de um novo relacionamento com a comida através do desenvolvimento de novos hábitos e do autocontrole emocional.

Forte abraço!

Psicóloga Clínica Carla Presutti
Especialista em Terapia Cognitiva e Comportamental pela Usp
Idealizadora do EMAGRECENDO COM A CABEÇA

“Não faça dieta. Mude hábitos!”

Quer EMAGRECER de um JEITO diferente? Conheça o EMAGRECENDO COM A CABEÇA

08/11/2013

Tentar mais uma vez a R.A. ou partir para a cirurgia?



         Muitos pacientes ao chegarem no consultório dizem que o suporte psicológico é o último recurso antes de partirem para uma cirurgia bariátrica, devido às várias tentativas de emagrecimento e não terem obtido sucesso.

         Confesso que me assusto ao ouvir isso. Sim, me preocupo porque encontram-se implícitas nesta fala a angústia, a ansiedade, a frustração, dentre outros sentimentos que levam à sensação de urgência em se livrar da obesidade (e muitas vezes a qualquer custo)  e trabalhar psicoterapeuticamente esta urgência é o primeiro passo da reeducação do comportamento alimentar... algo nada simples.

         Este passo inicial requer um trabalho de conscientização para com o paciente, de modo que compreenda e aceite que para alcançar seu objetivo ele terá que desenvolver dois P’S: Paciência e Persistência, visto que é possível mudar hábitos, porém não é da noite para o dia e envolve  autoconhecimento, dedicação, disciplina, foco, além da manutenção da motivação.

         Falo em ‘manutenção da motivação’ porque é justamente a falta dela que leva à desistência. Muitos demonstram empolgação, porém isso é pouco quando o assunto é mudar o estilo de vida.


         Aí você deve estar perguntando: Carla, como faço para manter a motivação? 

Eu respondo: Primeiro entenda que sentimentos são despertados principalmente pelas cognições e a motivação é um sentimento a ser trabalhado no acompanhamento psicológico. Neste processo são identificadas as crenças e pensamentos disfuncionais/ distorcidos, além das situações que levam ao desânimo em prosseguir com as mudanças. A partir daí desenvolvemos estratégias de resolução de problemas e autocontrole especificamente.

         Reeducar comportamento é algo muito individual, pois o que se aplica à uma pessoa pode não servir para outra e é nisso que o EMAGRECENDO COM A CABEÇA se diferencia de outras abordagens, porque não é mera reprodução e aplicação do conteúdo do  livro pense magro da Beck (que diga-se de passagem é excelente!). Eu adapto a terapia de acordo com as necessidades e objetivos de cada paciente. Busco tratar das questões psicoemocionais envolvidas na obesidade sempre tendo um olhar global, pois problemas em outras áreas podem interferir no ganho de peso e comprometer o emagrecimento.

         Bem, quero destacar o seguinte: Com ou sem cirurgia bariátrica não haverá mudança efetiva e talvez nem emagrecimento sustentável se a cabeça não for modificada. Afinal, a cirurgia é um procedimento que altera o estômago e não a mente. A fome física pode ser minimizada pela cirurgia, porém a fome psicológica não. É através do suporte psicológico que se desenvolve autocontrole diante da vontade de comer, do impulso ou da compulsão alimentar, algo que a cirurgia não pode proporcionar.

         Por isso MUDE SUA CABEÇA E EMAGREÇA!

Abraço forte!

Psicóloga Clínica Carla Presutti

Especialista em Terapia Cognitiva e Comportamental pela Usp

Idealizadora do EMAGRECENDO COM A CABEÇA

“Não faça dieta. Mude hábitos!”

 Quer EMAGRECER de um JEITO diferente? Conheça o EMAGRECENDO COM A CABEÇA

06/09/2013

Direcione seu comportamento alimentar através de regras






Comer não pode ser um ato espontâneo nem estar atrelado à vontade/ desejo por comida. Isso mesmo, para que haja disciplina do comportamento alimentar é necessário que se crie regras do tipo quando e o quê comer. É fundamental que se tenha um planejamento alimentar, um roteiro a ser seguido.


Cada pessoa pode criar suas regras alimentares. Por exemplo, tenho pacientes que adoram chocolate. Uns criaram a regra de não ceder às vontades de ingerí-lo durante a semana e outros consomem uma determinada quantidade todos os dias, sem ultrapassar o limite de calorias diários. Cada pessoa se adapta à uma determinada regra de acordo com seu estilo. Nem sempre existe um ‘certo’ ou ‘errado’, mas é imprescindível que se tenha uma diretriz a ser seguida.



Regras são fundamentais e necessárias. Sem elas ficamos desnorteados. Contudo, se mesmo tendo desenvolvido suas regras não consegue seguí-las é importante que você compreenda o motivo de suas dificuldades, para então adquirir autocontrole.


Vale destacar que nosso modo de pensar/ conceituar as situações influenciam demais nossas ações e muitas pessoas têm dificuldade em alterar comportamento por resistirem modificar suas crenças.


Pense nisso. Seja mais flexível e se abra para novas experiências. Mude sua cabeça e emagreça!

 
Forte abraço!

Psicóloga Clínica Carla Presutti
Especialista em Terapia Cognitiva e Comportamental pela Usp
Idealizadora do EMAGRECENDO COM A CABEÇA

“Não faça dieta. Mude hábitos!”

 Quer EMAGRECER de um JEITO diferente? Conheça o EMAGRECENDO COM A CABEÇA

Faça parte do Emagrecendo Com A Cabeça. Siga-nos!